Famílias de pássaros

Adaptações de pato - características adaptativas do pato

Pin
Send
Share
Send
Send


As adaptações dos patos os tornam seguros em ambientes hostis. Os dedos dos pés palmados, que têm conexões entre os dedos parecidos com os dos pés, ajudam-nos a nadar mais cedo, enquanto características particulares de seus bicos, assim como o pecten do pato-real, minúsculos pentes semelhantes a dentes no perímetro de seus bicos os ajudam a comer filtrar a água das refeições.

Adaptações de pato

Neste artigo, vou falar sobre as adaptações dos patos.

Por que os patos se adaptam?

Você já saiu para correr? Leve em consideração quais elementos do seu físico o tornam simples para que você possa correr. Para começar, você terá duas pernas.

Será muito mais problemático correr se você não tiver pernas, como uma cobra. Em segundo lugar, suas pernas são longas o suficiente para dar um passo enorme, em comparação com um animal com pernas curtas como um beagle. Por fim, você terá pulmões que podem ajudá-lo a obter o oxigênio desejado com a intenção de respirar na corrida.

Esses itens são conhecidos como adaptações e todos os problemas de moradia têm adaptações que os ajudam a prosperar em seu habitat.

Idênticos aos indivíduos, os patos têm muitas adaptações. Em primeiro lugar, os patos têm adaptações que lhes permitem nadar de forma simples, uma vez que esse é certamente um dos seus principais meios de transporte.

Os patos têm até adaptações que os preservam com segurança e se alimentam. Vamos descobrir o que são algumas de suas adaptações.

Os patos possuem um revestimento oleoso que impede a água de se depositar em suas penas, evitando que fiquem secos e se protegendo do calor.

Seus dedos dos pés palmados, projetados como pás, apresentam espaço extra para empurrar em oposição à água e ajudá-los a nadar.

A construção em forma de pente, conhecida como pecten, presente ao lado da picada do bico, é customizada para transportar alimentos escorregadios e evitar penas.

Eles têm bicos achatados especializados, apropriados para observar larvas de insetos e retirar pequenos moluscos, vermes e algas aquáticas da lama.

Provavelmente, a maior parte dos patos tem um fator em seus pensamentos: as refeições. Uma vez que eles não podem ir ao supermercado para escolher suas refeições subsequentes, eles devem ter elementos corporais que lhes permitam simplesmente pegar as refeições.

Uma espécie de elemento físico é o bico. Patos completamente diferentes têm bicos que são estilos e tamanhos totalmente diferentes dependendo de suas dietas.

O pato escavador do norte obterá sua identidade por meio de seu bico em forma de pá. Este enorme bico permite que o pato retire do fundo da água os minúsculos organismos que come.

O pato de madeira tem um bico fino e curto, o que lhe permite simplesmente apanhar bolotas. Patos Eider comem frutos do mar; seus bicos são muito robustos para que possam abrir as cascas e comer o que está dentro. E os patos selvagens têm peitorais minúsculos ao lado de seus bicos.

Pecten é um minidente semelhante a um pente que atua como um coador. Veja, os patos selvagens abrem seus bicos debaixo d'água quando tentam pegar comida. O pecten permite que toda a água saia do bico, enquanto as refeições ficam na boca.

As penas de pato têm duas adaptações fundamentais. O primário é um revestimento oleoso que impede a água de se depositar nas penas de pato. Ficar seco ajuda os patos a manterem o calor e, além disso, diminui seu peso físico, o que melhora o movimento da água e do ar. A cor é outra adaptação generalizada.

Os patos pertencem à família das aves aquáticas. os patos são menores do que os patos e os cisnes, entretanto, são extremamente prolíficos; eles ficam em locais adicionais em todo o mundo e raramente dominam as populações de aves aquáticas.

Eles ficam em lagos, riachos, rios, riachos, baías, mares e oceanos. Pato como um grupo tem uma série de adaptações, e certas espécies de patos possuem adaptações adicionais distintas aos seus hábitos e habitats.

Asas e penas são as adaptações óbvias que as aves aquáticas e diferentes pássaros têm para voar. Embora as dimensões e a forma da asa variem entre as espécies, todas as aves aquáticas têm asas pontiagudas comparativamente longas construídas para andar. Penas principais inflexíveis apresentam impulso e penas secundárias de forma exclusiva apresentam elevação.

O oxigênio e o dióxido de carbono podem simplesmente se difundir pela casca adicionalmente. Os dedos alados permitem ao Pato-real remar rápida e eficazmente na água e debaixo d'água, se necessário.

A maioria das aves que têm dedos dos pés palmados podem se transferir com eficácia pela água, no entanto, costumam caminhar desajeitadamente em terra.

Dedos de pato são adaptações visualmente aparentes. Todas as espécies de patos têm dedos palmados que os ajudam a nadar.

Esses dedos se prolongam lateralmente quando o pato empurra novamente com as pernas e fornecem mais espaço para aumentar a efetividade em movimento.

Quando o pato se transfere para a frente por meio da água, os dedos dos pés se contraem lateralmente em formas hidrodinâmicas, facilitando o movimento. Espécies completamente diferentes de pato possuem adaptações de dedos quase totalmente diferentes.

As patas do pato mandarim, por exemplo, ficam mais à frente em seu físico do que a maioria das patas de pato, permitindo-lhe manobrar mais facilmente na terra.

Os dedos dos pés da mandarim apresentam uma energia de preensão extra, já que o pato mandarim geralmente busca abrigo na madeira quando não está na água.
As penas de pato têm duas adaptações fundamentais. O primário é um revestimento oleoso que impede a água de se depositar nas penas de pato.

Ficar seco ajuda os patos a manterem o calor e, além disso, diminui seu peso físico, o que melhora o movimento da água e do ar. A cor é outra adaptação generalizada.

As penas do pato-real combinam com as cores das áreas onde fica o pato-real, oferecendo aos animais uma medida de segurança pela camuflagem.

A coloração e os padrões das penas de pato servem a algumas operações evolutivas fundamentais, principalmente com base no comportamento e habitat do animal.

Os patos se adaptaram adequadamente à vida na água e, juntamente com seu sistema particular de filtragem de água em suas bocas, os patos ainda têm dedos palmados que os permitem viajar no fundo da água com facilidade.

Além disso, os dedos palmados do pato tornam mais fácil para o pato caminhar nas margens escorregadias do rio.

O pato tem asas pequenas, portanto, pairar como um falcão não é uma possibilidade. Eles precisam bater suas asas rapidamente - cerca de 10 vezes por segundo - para manter seus corpos comparativamente gigantescos no ar. As asas do pato são longas e pontudas, como as do falcão-peregrino, a ave mais rápida da Terra.

Bicos de pato têm adaptações associadas ao plano alimentar de uma espécie de pato. Uma série de espécies de patos, que se assemelham ao pato selvagem e ao pato assobiador, têm grandes bicos lamelados.

Esses bicos compreendem membranas formadas como favos que permitem aos patos peneirar pequenos animais e diferentes fontes de alimentação da água.

Pato com bico lamelado toma goles de água e deixa a água escorregar lentamente de seus bicos ao peneirar para as refeições.

O pato-mergulhão, então, tem pagamentos estreitos e serrilhados que os ajudam a pegar, cortar e devorar peixes, anfíbios, crustáceos e moluscos.

Adaptações Comportamentais

Patos que se parecem com arlequins, que ficam em áreas famosas pela escassez de alimentos, têm adaptações para ajudá-los a se manterem vivos.

Os arlequins machos partem do ninho mais cedo do que a maioria dos patos, diminuindo os competidores por bens alimentares.

Além disso, os arlequins põem menos ovos do que as diferentes espécies de patos, tornando mais fácil para a mamãe pata manter sua prole viva.

O pato-real possui inúmeras adaptações comportamentais que auxiliam na defesa de seus filhotes. Quando um ninho é ameaçado, os patos selvagens nadam ou voam para longe do ninho, geralmente feridos.

O predador, presumindo que o pato é uma simples morte por causa de seu “dano”, segue a mãe para longe do ninho. O pato infantil permanece em silêncio nessas situações, uma adaptação de segurança.

Adaptações anatômicas

Como pássaros diferentes, o pato possui um esqueleto leve que, no entanto, vem fortemente fortalecido para suportar as inúmeras tensões físicas impostas pelo vôo.

As adaptações esqueléticas para o vôo incorporam ossos longos dentro da asa, uma quilha esterno para ancorar a massa muscular de vôo e ossos fundidos de “pulso” e “mão” para uma construção de asa extra inflexível.

A principal massa muscular de voo inclui o peitoral, que permite o movimento da asa para baixo com "energia", e o supracoracoideus, que puxa a asa para cima em um movimento de "restauração".

As duras penas de voo de um pato incorporam as "primárias" externas e as "secundárias" internas.

As palhetas das primeiras penas têm uma frente esguia para cortar o ar; eles são também fortemente interligados com “barbules_ em forma de gancho. “

Penas sobrepostas mais suaves são conhecidas como “abrigos” sobre as bases das primárias e secundárias, garantindo que as asas formem uma camada forte e limpa.

Vôos migratórios de pato

Embora mergulhadores e experientes apresentem algumas variações importantes, o pato normalmente é projetado para um vôo rápido e agitado.

Suas asas pontiagudas e voltadas para trás são perfeitas para a migração de longa distância, algo em que muitas espécies que se reproduzem em latitudes aumentadas interagem. Os patos migrantes geralmente voam em formação em “V” para eficácia máxima.

As pontas das asas de uma ave voadora criam vórtices que empurram o ar para baixo, atrás da ave (na lavagem descendente) e para cima, nas bordas (na lavagem ascendente).

Um pato atrás e ao lado um do outro pode aproveitar ao máximo esse upwash e seu desconto de arrasto para voar com muito menos esforço: portanto, a configuração em “V”.

Assista o vídeo: Qual a diferença entre Pato, Marreco, Ganso e Cisne? Quantos marrecospatos existem no Brasil? (Abril 2021).

Pin
Send
Share
Send
Send